Câmera na Estrada

Fotografia, viagem e os dois juntos!

Category: Fotografia (page 1 of 28)

Foto da Segundona – 12-11-2018

Toda segunda-feira, uma foto de um lugar legal pra começar bem a semana.

paraíso das aves

Foto: www.cameranaestrada.com

Reserva Paraíso das Aves, Brasil

Novo iPad Pro vai rodar versão completa do Photoshop

ipad pro

Foto: www.apple.com

O novo iPad Pro da Apple traz novidades em processamento, tela e interface que permitirão rodar a versão full do Adobe Photoshop. O novo modelo está equipado com tela Liquid Retina de 11″ e 12.9″ com novo sistema de backlight, gama de cores melhorada, revestimento anti reflexo e rate de 120Hz. Além disso, estão disponíveis modelos com até 1 terabyte de memória. A performance não fica atrás. O novo iPad Pro vem equipado com chip A12X Bionic que a Apple afirma ter performance melhor que a maioria dos notebooks do mercado. Para facilitar o uso do novo aplicativo, o iPad Pro vem com a Apple Pencil, uma nova caneta para uso diretamente na tela e controle das funções dos aplicativos.

ipad pro

Foto: www.apple.com

Essa tecnologia de performance e tela chamou a atenção da Adobe que decidiu lançar uma versão full do seu famoso software Photoshop para rodar no iPad Pro. Atualmente, dispositivos iOS e Android contam com o Photoshop Express, uma versão simplificada do aplicativo. Esse lançamento que deverá ocorrer em 2019, vai trazer uma nova e poderosa ferramenta para fotógrafos. Os profissionais serão capazes de analisar e iniciar a pós-produção das fotografias ainda no local onde a produção está sendo realizada. Isso pode permitir refazer fotografias ao invés de corrigir eventuais imperfeições posteriormente na pós-produção.

Os preços variam entre US$799 e US$1899 dependendo do tamanho da tela e memória.

Mais informações sobre o iPad Pro podem ser encontradas no site oficial da Apple:  www.apple.com/br/ipad-pro

Novidades sobre o Photoshop podem ser encontradas no site da Adobe: www.adobe.com/br/products/photoshop.html

Foto da Segundona – 05-11-2018

Toda segunda-feira, uma foto de um lugar legal pra começar bem a semana.

gonçalves

Foto: www.cameranaestrada.com

Floresta de araucárias, Gonçalves, MG

Pacific Crest Trail, a trilha do México ao Canadá

pacific crest trail

Foto: www.pcta.org

Imagine caminhar em meio à natureza por toda a extensão da costa oeste dos Estados Unidos e ter a chance de fotografar as mais diversas paisagens. Essa é a Pacific Crest Trail, uma trilha de 2.659 milhas ou 4.279 quilômetros. Por causa dessa extensão, a PCT como é conhecida, percorre os mais diversos ambientes. Saindo das proximidades da cidade de de San Diego, na divisa dos Estados Unidos com o México, o caminho segue pelos desertos quentes do sul da Califórnia até as montanhas cheias de neve da Sierra Nevada. Seguindo em frente, chega-se às florestas do Oregon indo até as belíssimas paisagens de North Cascades em Washington. Por fim, a trilha chega até a divisa com o Canadá, ao norte de Seattle.

Além das paisagens, a fauna é outro atrativo e também um dos perigos da Pacific Crest Trail. É possível cruzar com lobos, linces, pumas, ursos, cascavéis e mais alguns milhares de outras espécies. A trilha já foi percorrida na sua totalidade por diversas pessoas desde a década de 1920, algumas delas em uma só caminhada com meses de duração. A maioria porém, percorre somente trechos.

A PCT possui uma vasta infraestrutura de apoio aos caminhantes com mapas detalhados, locais para acampamento, alimentação, preparativos, guias, serviços de previsão de tempo e até apoio para aqueles que preferem percorrer a trilha a cavalo. Alguns trechos e pernoites são livres para percorrer porém outros, exigem uma permissão de acesso.

Nos Estados Unidos, principalmente na costa oeste, tem muita informação e literatura sobre a PCT. Pra conhecer um pouco mais sem sair de casa, a trilha inspirou o livro e o filme Wild sobre a PCT e as mudanças causadas nas pessoas que a percorrem. Uma vasta fonte de informações é o site da Pacific Crest Trail Association: www.pcta.org

Prepare-se bem, informe-se e comece a caminhar!

Foto da Segundona – 22-10-2018

Toda segunda-feira, uma foto de um lugar legal pra começar bem a semana.

oceanário de lisboa

Foto: www.cameranaestrada.com

Oceanário de Lisboa, Portugal

Phase One lança câmera XF IQ4 com 151 Megapixel

xf iq4

Foto: www.phaseone.com

A Phase One é um fabricante de equipamentos fotográficos dinamarquês, famoso por produzir sistemas fotográficos de alta qualidade e sensores poderosos. São câmeras fotográficas e filmadoras de médio formato com sensores até 2,5x maiores que uma DLSR full frame 35mm.

Seu mais recente lançamento é o sistema XF IQ4 com câmeras de 100 e 151 megapixel. São sensores de alta tecnologia com latitude de até 15 pontos. Além disso, o fabricante preza pela fidelidade de cores captadas pelos sensores da marca. O sistema é todo modular, com corpo, back, objetivas e visor separados. As câmeras tem slot duplo de cartões e aceita padrões XQD e SD.

xf iq4

Foto: www.phaseone.com

A Phase One também produz o software Capture One para fotografia com câmeras conectadas diretamente a computadores, smartphones e tablets. A XF IQ4 pode fotografar conectada por Wi-Fi, USB ou Ethernet.

Os preços variam entre US$ 47.990,00 e US$ 54.990,00. Mais informações sobre a XF IQ4, clique aqui para entrar no site oficial da Phase One.

O mestre Ansel Adams

Ansel Adams

Foto: Ansel Adams

Ansel Adams nasceu nos Estados Unidos em 1902 e não foi só um dos maiores fotógrafos da história. Ele foi também responsável por uma grande evolução da fotografia.

Aos 14 anos, ele viajou com a família ao Parque Nacional de Yosemite na California e fotografou as paisagens usando uma Kodak Brownie Nº1. Nascia aí uma paixão! Daí em diante, ele voltou todos os anos ao parque e fez por lá a maioria das suas grandes fotografias.

Os equipamentos

ansel adams

Adams usou equipamentos de todos os tipos. Além da Brownie, usou também Polaroid, Zeiss Contax de 35mm, Hasselblads de médio formato e as gigantes Deardorff de madeira. Por sinal, Adams devia ser muito forte porque essa câmera era muito pesada. Pouca gente sabe mas, nos final de sua vida, Ansel Adams se interessou pela tecnologia digital que despontava na época. Apesar da grande maioria de suas fotografias serem de natureza em preto e branco, fotografou todo tipo de assuntos usando também filmes coloridos.

As técnicas e contribuições de Ansel Adams

Muito mais do que somente fotografar belas paisagens dos Estados Unidos, o fotógrafo criou o famoso sistema de zonas, uma técnica fotográfica para medições perfeitas de luz que melhor se adaptem a cada tipo de mídia (diferentes tipos filme, aplicável também para o sensor digital). Escreveu vários livros, entre eles A Câmera e O Negativo, verdadeiras aulas de fotografia que ensinam técnicas que podem ser aplicadas ainda hoje a qualquer mídia fotográfica. Adams também se tornou ativista pela preservação de áreas naturais e integrou associações visando o desenvolvimento da fotografia como o grupo f/64, criado em parceria com o fotógrafo Willard Van Dyke.

 

Ansel Adams

Foto: Ansel Adams

 

Ansel Adams

Foto: Ansel Adams

 

Ansel Adams

Foto: Ansel Adams

Mais informações podem ser encontradas no site www.anseladams.com. Pra quem tiver muitos dólares sobrando, é possível também comprar ampliações originais.

Foto da Segundona – 08-10-2018

Toda segunda-feira, uma foto de um lugar legal pra começar bem a semana.

colonia del sacramento

Foto: www.cameranaestrada.com

Colonia del Sacramento, Uruguai

5 Efeitos fotográficos que você pode fazer usando baixa velocidade

Ter uma câmera com controles manuais exige mais conhecimento do fotógrafo mas permite fazer fotografias melhores do jeito que queremos. Além disso, podemos aproveitar esses controles pra criar efeitos fotográficos. É o caso da baixa velocidade do obturador. Essa velocidade é regulada nas câmeras manuais e apresenta valores como 2″, 1/15, 1/250, etc.

A velocidade que você vai usar depende dos efeitos fotográficos que você quer mas, pros exemplos abaixo, usamos velocidades do obturador de poucos segundos até vários minutos. Vale lembrar que um tripé ou outra base firme é essencial para o uso de baixa velocidade do obturador. Um disparador remoto também é aconselhável. A medição de luz nesses casos pode ser feita no modo manual ou prioridade de velocidade. A medição correta fica melhor com a experiência então, faça muitas fotos em situações diferentes e veja os resultados. Vamos ver a lista:

1 – Véu de noiva na água
efeitos fotográficos

Foto: www.cameranaestrada.com

Um dos efeitos fotográficos mais comuns pra fazer com baixa velocidade do obturador. O efeito consiste em fotografar água corrente durante vários segundos para obter um efeito semelhante a um véu de noiva. Pode ser feito em rios ou com as ondas do mar. A foto acima foi feita com o obturador regulado para 10 segundos.

2 – Trilha de luzes
efeitos fotográficos

Foto: www.cameranaestrada.com

Para esse efeito, você precisa de uma rua movimentada a noite. Além de carros, esse efeito pode ser feito com aviões, barcos ou qualquer veículo em movimento com as luzes acesas. Essa fotografia foi feita com 20 segundos de exposição.

3 – Fantasma
efeitos fotográficos

Foto: www.cameranaestrada.com

Pra obter o efeito de fantasma é fácil. Nesse caso é só colocar a câmera no tripé, regular o obturador para alguns segundos e caminhar pelo quadro bem devagar. Essa foto foi feita com regulagem de 5 segundos.

4 – Trilha de estrelas
efeitos fotográficos

Foto: PTNorbert / www.pixabay.com

A Terra gira e as estrelas parecem passar pelo céu. Deixe sua câmera com o obturador aberto por alguns minutos e terá esse efeito. Algumas dessas fotos são feitas com exposição de horas. A maioria das câmeras não tem regulagem de obturador para vários minutos. Nesse caso, é preciso usar um disparador remoto e regular a câmera no modo Bulb. Outra informação importante é que esse efeito deve ser feito no local mais escuro possível. A luz das grandes cidades prejudica muito esse tipo de fotografia.

5 – Panning
efeitos fotográficos

Foto: www.cameranaestrada.com

O panning é o efeito que dá a impressão de velocidade em um objeto e é feito acompanhando um objeto em movimento. Para esse efeito, use velocidade entre 1/15 ou 1/30. Essa regulagem pode variar conforme a velocidade do objeto sendo fotografado. A técnica consiste em acompanhar o movimento do objeto enquanto faz o disparo. O objeto irá parecer parado e o fundo ficará borrado e isso dará o efeito de velocidade.

Foto da Segundona – 01-10-2018

Toda segunda-feira, uma foto de um lugar legal pra começar bem a semana.

São Paulo

Foto: www.cameranaestrada.com

Pôr do sol de hoje sobre São Paulo

Older posts

© 2018 Câmera na Estrada

Theme by Anders NorenUp ↑