Câmera na Estrada

Fotografia, viagem e os dois juntos!

Foto da Segundona – 24-09-2018

Toda segunda-feira, uma foto de um lugar legal pra começar bem a semana.

santo andorinhas

Foto: www.cameranaestrada.com

Salto Andorinhas, Ascurra, Brasil

4 Dicas para não perder suas fotos em viagens

cartão de memória

Foto: www.pixabay.com

Tem gente que adora fotografar durante as viagens e tem gente que viaja só pra fotografar. Agora, imagina que você fez 1000 fotos num lugar maravilhoso e aí você perde um cartão de memória cheio. Ou então, o cartão dá erro e corrompe os arquivos ou você tem seu equipamento e cartões roubados. Não dá pra correr um risco desses então, aqui vão 4 dicas pra você não perder suas fotos em viagens, ou mesmo numa saída fotográfica na sua própria cidade:

  1. Tenha cartões de memória de boa qualidade em quantidade suficiente pra todas as suas fotos – Em primeiro lugar, nunca compre cartões de memória genéricos ou de origem duvidosa. Eles são muito mais propensos a dar algum tipo de defeito e corromper suas fotos. Se possível, tenha cartões suficientes para comportar todas as suas fotos sem ter que reutiliza-los numa mesma viagem.
  2. Faça backup dos cartões – Infelizmente, essa opção nem sempre é possível porque nem sempre levamos um notebook nas viagens. Sempre que possível, faça backup das suas fotos num computador, HD externo e, principalmente, num disco online (se você é um fotógrafo profissional, é uma obrigação ter um drive online!). Já existiram HDs com leitor de cartão que funcionam sem computador mas não são muito fáceis de encontrar no Brasil e a maioria dos fabricantes, como a Wolverine, já tirou de linha.
  3. Não apague suas fotos depois do backup – Mesmo que você tenha um computador e faça cópia de segurança dos cartões todos os dias, não apague essas fotos do cartão. No pior dos casos, se acontecer alguma coisa com o notebook ou HD, você ainda tem as fotos nos cartões. Por isso, é legal ter cartões de memória pra todas as fotos, assim você não precisa apagar os cartões pra usar de novo.
  4. Mantenha os cartões cheios seguros – Se você faz uma viagem ou uma saída fotográfica, alguma coisa pode acontecer ao seu equipamento durante os deslocamentos. Você pode ter sua bagagem extraviada ou mesmo furtada. Guarde seus cartões de memória no bolso ou em algum lugar seguro pra manter suas fotos seguras mesmo que você perca seu equipamento.

Bolsas e alças fashion para câmeras

capturing couture

Foto: www.capturingcouture.com

Cansado das bolsas quadradas pretas? Ou da alças com a marca do fabricante? Que tal poder mostrar seu estilo não só nas suas fotos mas também na bolsa de equipamentos?

A Capturing Couture é uma empresa fundada na Califórnia que desenvolveu uma linha de bolsas e alças fashion para câmeras, diferenciadas no formato, estampas e materiais, sem deixar de lado a proteção para suas câmeras e objetivas. Ao invés do tradicional material sintético, os produtos são feitos em diversos tipos de tecidos e dá até pra combinar a bolsa da câmera com a roupa. Os produtos incluem alças de diversos tamanhos e larguras, engate rápido, alça tipo cachecol, bolsas protetoras para equipamento fotográfico em diversos formatos e até cordão para prender a tampa das objetivas.

capturing couture

Foto: www.capturingcouture.com

 

capturing couture

Foto: www.capturingcouture.com

Pra quem quiser algo além da fotografia, a marca fabrica também outros tipos de bolsas, alças para instrumentos musicais e até coleiras para seu dog. Infelizmente os produtos ainda não estão á venda no Brasil e precisam ser importados. Conheça a linha completa no site do fabricante: www.capturingcouture.com

Foto da Segundona – 10-09-2018

Toda segunda-feira, uma foto de um lugar legal pra começar bem a semana.

praia do porto fernando de noronha

Foto: www.cameranaestrada.com

Praia do Porto, Fernando de Noronha, PE

Comparativo mirrorless full-frame: Canon vs Nikon

mirrorless full-frame

Fotos: Sites dos fabricantes

As câmeras mirrorless estão em alta, todos os grandes fabricantes estão lançando modelos mais avançados pra conseguir uma fatia desse mercado, ainda mais com os novos lançamentos de mirrorless full-frame. Alguns profissionais estão largando suas DSLR pra comprar mirrorless e outros falam que isso é só moda e que vai passar. Já usei mirrorless e ainda não quero trocar, não que seja ruim mas eu adoro o visor ótico e a “pegada” da DSLR! Quem sabe um dia.

Bom, no final de agosto de 2018, a Nikon lançou duas mirrorless com sensor fullframe: a Z6 e a Z7. Alguns dias depois, em 5 de setembro de 2018, foi a vez da Canon lançar sua versão: a Canon EOS-R. Abaixo tem as principais características e diferenças entre os modelos top das marcas, a Z7 e a R pra você que quer comprar uma delas:

Nikon Z7
  • Sensor: BSI CMOS Full-frame 45.7 Megapixel
  • ISO: 64-25600
  • Vídeo: 4K 30fps, 1080p 120fps
  • Visor: QVGA 3,6 milhões de pontos
  • LCD: Móvel Touch 3,2″, 2,1 milhões de pontos
  • Foco: 493 pontos AF
  • Filtro low-pass: Não
  • Montagem: Nikon F
  • Peso: 585g
  • Outros recursos: 9fps, Wi-Fi, Bluetooth, weather-proof
  • Preço: US$3399
  • Mais informações: Site oficial da Nikon Z7

 

Canon EOS-R
  • Sensor: CMOS Full-frame 30.4 Megapixel
  • ISO: 100-40000
  • Vídeo: 4K 30fps, 1080p 60fps
  • Visor: OLED 3,9 milhões de pontos
  • LCD: Móvel Touch 3,2″, 2,1 milhões de pontos
  • Foco: 5655 pontos AF
  • Filtro low-pass: Sim
  • Montagem: Canon RF com adaptador para EF
  • Peso: 580g
  • Outros recursos: 8fps, Wi-Fi, Bluetooth, weather-proof
  • Preço: US$2299
  • Mais informações: Site oficial da Canon EOS R

 

Apesar de ambas serem ótimas câmeras, parece que a Nikon resolveu ser mais ousada e colocar mais capacidades na Z7 como um sensor mais moderno e com maior capacidade além de mais recursos de vídeo. A Canon por outro lado surpreendeu na capacidade de foco e na nova montagem RF, pronta pra novas evoluções em matéria de objetivas além de adaptadores para usar toda a linha de objetivas EF. Além disso, pra quem quer uma mirrorless full-frame, vale a pena ver os modelos da Sony e Fuji. Qualquer que seja sua escolha, vai ter nas mãos muita diversão!

Foto da Segundona – 27-08-2018

Toda segunda-feira, uma foto de um lugar legal pra começar bem a semana.

Foto: www.cameranaestrada.com

São Paulo vista do Farol Santander

14º Festival Internacional de Fotografia Paraty em Foco

paraty

O Festival Internacional de Fotografia Paraty em Foco é um dos principais eventos voltados à fotografia no Brasil. Este ano, a cidade histórica irá sediar a 14ª edição do festival que acontecerá de 19 a 23 de setembro de 2018.

O evento traz convidados famosos do mundo da fotografia, workshops, palestras, entrevistas e exposições. Esse ano serão mais de 20 convidados como Araquém Alcântara, Luciano Candisani, Lygia Barbosa, Maureen Bisilliat, Walter Carvalho dentre outros nomes da fotografia brasileira e internacional. Os workshops dessa edição tem vagas limitadas e as inscrições estão abertas. Especialistas da área irão tratar assuntos diversos como fotografia autoral, natureza, espetáculo, criatividade, conceitos, história, fotografia de rua, entre outros.

Pra quem puder ir a Paraty vale lembrar que, além do evento, a visita à cidade já vale a viagem. O PEF também promove ações sociais como estágios e bolsas junto à população da região.

Mais informações no site do evento www.pefparatyemfoco.com.br

26 anos sem Christopher McCandless

Foto: Christopher McCandless

Christopher McCandless era um aluno exemplar, formou-se com louvor aos 22 anos na Universidade de Atlanta. Poucos dias após a formatura porém, desapareceu. Dois anos depois, foi encontrado morto em um ônibus abandonado no Alasca, em Agosto de 1992.

Intrigado com a história contada nos diários de McCandless, o escritor Jon Krakauer escreveu o livro Na Natureza Selvagem (Into the Wild), contando a trajetória do jovem nos dois últimos anos de sua vida. O livro, um sucesso de vendas, foi transformado em filme com o mesmo nome por Sean Penn em 2007, com trilha sonora primorosa composta por Eddie Vedder, vocal do Pearl Jam.

McCandless doou seu fundo universitário de US$24.000 para caridade, abandonou seu carro, mudou seu nome para Alexander Supertramp e caiu na estrada, sem destino. No seu caminho, conheceu lugares e pessoas, inspirou e foi inspirado, viveu com intensidade até decidir sobreviver por seus próprios meios por algum tempo na natureza selvagem do Alasca. Conseguiu por mais de 100 dias porém, sua inexperiência tornou o final de sua jornada fatal.

A história divide opiniões, alguns o vêem como um exemplo, outros como um imaturo suicida. Em minha opinião, a fatalidade foi apenas um dos possíveis finais. McCandless (ou Alex Supertramp) fez algo que 99% dos humanos que passaram por esse planeta jamais fizeram: foi livre. Viveu as possibilidades de sua vida, mudou a visão de outros e poderia hoje talvez, estar mostrando ao mundo uma nova alternativa de vida. Errou e pagou o preço. Independente das opiniões, o filme é obrigatório pra todos aqueles que adoram viajar.

Operação Abacaxi: De carro do Brasil ao Canadá em 1955

operação abacaxi

Foto: Operação Abacaxi | Overlander

Ir de carro do Brasil até o Canadá é o sonho de muita gente mas poucos viajantes corajosos já percorreram essa jornada. Agora, imagina alguém fazer isso em 1955 sem GPS, sem google, sem booking.com e nenhuma das facilidades que temos hoje em dia.

Foi isso que os jovens Hugo Vidal, Charles Downey e Jan Stekly fizeram há mais de 60 anos. O objetivo dos três jovens aventureiros era participar do Jamboree, um grande encontro de escoteiros. O veículo usado foi um Jeep Willys CJ-3B adaptado para a aventura. Na época, diversas empresas se interessaram pelo projeto e ajudaram a custear a viagem como patrocinadores num custo total de US$4500, dinheiro considerável para a época. Assim nascia a Operation Pineapple ou Operação Abacaxi.

O trio percorreu 73000 quilômetros dirigindo pelo asfalto, terra, lama, areia, gelo e neve. Chegaram inclusive a tombar o veículo na Costa Rica e tiveram o veículo revisado pela matriz da Jeep em Ohio. Esse mesmo veículo hoje está restaurado e pode ser visto em alguns eventos em que o Sr. Vidal participa.

Uma feliz coincidência

Durante a viagem, o trio de aventureiros da Operação Abacaxi se hospedou num lodge em Whitehorse, no norte do Canadá. Alguns anos depois, um incêndio destruiu o lodge. Décadas mais tarde, o livro de registros foi encontrado intacto e nele, o desenho do jeep feito durante a expedição. E, mais de 60 anos depois, o Sr. Vidal, único dos três ainda vivo, foi convidado pelo escritório de turismo do território de Yucon para voltar à lendária Alaska Highway para a comemoração de 75 da estrada e 150 anos do Canadá.

operação abacaxi

Em 2018, foi lançado o livro “Operação Abacaxi, Flashes de uma Aventura”, contando a história dessa viagem pioneira e mostrando as fotos feitas pelo caminho. Para adquirir o livro, acesse o site da Editora Overlander.

Foto da Segundona – 13-08-2018

Toda segunda-feira, uma foto de um lugar legal pra começar bem a semana.

silla del diablo

Foto: www.cameranaestrada.com

Silla del Diablo, Puerto Natales, Chile

« Older posts

© 2018 Câmera na Estrada

Theme by Anders NorenUp ↑